Vestígios Romanos no Reino Unido - Bate Papo Blog

Vestígios Romanos no Reino Unido

Descubra onde encontrar locais com mais de 2000 anos de história de vestígios romanos no Reino Unido

Vestígio Romanos no Reino Unido | Turismo Histórico no Reino Unido | Cultura Britânica | Turismo no Reino Unido | Turistando no Reino Unido | Londres Romana

Se você ainda não leu os artigos anteriores: Onde encontrar vestígios romanos em Londres e os 6 portões que cercavam Londres no período romano, eu te convido a ler pois esses artigos funcionam como complementos um do outro.

Dessa forma você poderá ter uma ideia de como era a vida na ilha britânica durante o período romano.

Antes de mais nada, já vou começar te contando que a primeira tentativa romana para invadir a ilha aconteceu em 42 AC enquanto o ainda general Júlio César tentou por diversas vezes conquistar a ilha, falhando em todas elas.

Afinal, como vocês bem sabem fracasso não era um ponto forte romano e a vontade de tentar expandir o território conquistado para Roma era muito maior.

Mapa do Império Romano antes de conquistar a ilha Britânica - Bate Bapo Blog
Mapa do Império Romano em 42 AC, antes de conquistar a ilha Britânica -Reprodução Internet

Por isso, embora tivessem ocorridos diversas tentativas durante anos e sob o comando de imperadores diferentes, a invasão romana na ilha britânica somente aconteceu 70 anos depois da primeira tentativa com Júlio César.

E foi somente sob o comando do imperador Cláudio.

Em conclusão, Os romanos levaram 4 meses para conquistar o sul da ilha e dessa forma eles conseguiram manter o local seguro para receber mais soldados e armamento para se prepararem e tentar conquistar o restante da ilha.

A primeira cidade importante para o império foi Colchester e logo depois Londinium (Londres) foi criada se tornando a capital devido ao fácil acesso para importações e exportações que eram feitas através de embarcações no rio Tamisa.

Principais cidade romanas com suas estradas em vermelho e em verde as estradas que ainda são utilizadas hoje / Reprodução Internet.

Definitivamente, Londinium passou a ser o destino de muitos “navios mercantes” que traziam itens de luxo para os generais, governadores e comandantes do império, que moravam na ilha e tentavam se adaptar utilizando os itens importados para conseguir ter mais conforto.

Os principais itens importados eram: vinho, azeite de oliva, molho de peixe (trazido da Espanha ou da Itália), porcelanas (França), jarros, copos e utensílios de cozinha feitos com vidro de alta qualidade (trazidos da Alemanha e da Itália), perfumes e temperos (trazidos do Egito e Oriente Médio).

Principais portos romanos no Reino Unido - Bate Papo Blog
Principais portos romanos no
Reino Unido / Reprodução Internet

Por outro lado, mesmo depois de mais de 2000 anos que o império romano deixou a ilha britânica, ainda é possível encontrar diversos vestígios romanos no Reino Unido.

Não somente em arquitetura, mas em cultura, culinária, no idioma e muito mais.

Definitivamente, É impressionante pensar que o legado romano do ainda pode ser sentido ao nosso redor;

Para você ter uma ideia diversas cidades ainda possuem o nome com os sufixos ‘chester’, ‘caster’ e ‘ciester’ e todas essas cidades têm origens romanas, enquanto muitos dos locais importantes do país foram conservados e estão abertos ao público.

Aqui, reunimos alguns dos mais fascinantes locais com vestígios romanos que você poderá encontrar no Reino Unido.

Aquae Sulis – Bath 

Um dos lugares mais bonitos que já visitei e um dos sítios arqueológicos romanos mais bem preservados do mundo até hoje, esse é o antigo spa termal em Aquae Sulis. Tempo depois a cidade passou a se chamar Bath.

A cidade fica localizada aproximadamente há 3 horas de Londres e você pode visitar o Sacred Spring, a Roman Bath House e o Templo Romano.

Todos esses locais foram construídos pelos romanos e é impressionante pensar na complexidade da estrutura do local, pois os romanos construíram um complexo de casas de banho acima das três fontes termais naturais de Bath.

O templo foi construído em 60-70 DC e o complexo de banhos foi gradualmente construído ao longo dos 300 anos seguintes.

Não deixe de visitar o museu, onde você encontrará milhares de achados arqueológicos da Grã-Bretanha pré-romana e romana.

MURALHA DE ADRIANO

Por cerca de três séculos, a Muralha de Adriano foi a principal fronteira norte (Escócia/ Caledônia) e multicultural do Império Romano.

Esta muralha se estendia de uma ponta a outra da ilha e tinham portões que davam acesso para quem precisasse passar de um lado para o outro. Ela possui quase 130 quilômetros de distância entre uma parte da ilha até a parte da ilha.

Foi construído por mais ou menos 15.000 homens e levou menos de seis anos para ser completamente construído.

Além da muralha foram construídos, mini castelos a cada milha de distância, quartéis e fortes para dar suporte aos soldados que ficavam de guarda e evitavam que os rebeldes invadissem ou tentassem saquear cidades do império romano.

Hoje em dia, a muralha é considerada Patrimônio Mundial Humanidade pela Unesco e possui uma trilha nacional de 135 quilômetros, de Tyneside ao estuário de Solway em Cumbria.

Housesteads é o forte romano mais completo da Grã-Bretanha, situado no alto de uma escarpa dramática na Muralha de Adriano.

Vale lembrar que o hoje encontra-se em uma paisagem vazia, mas na época dos romanos havia uma movimentada guarnição de 800 homens. Dessa forma é possível ver a parede do lado de fora do forte, um assentamento de civis e comerciantes.

Os vestígios visíveis incluem quatro portões imponentes e uma linha completa de parede cortina e torres de intervalo.

Londres Romana – Muralha Romana e Vestígios em Londres – Londinium

Muitas pessoas quando vêm visitar Londres, não imaginam que por ali também passaram muitos militares romanos que deixaram marcas na cidade que são visíveis até hoje, basta olhar para o local certo para admirar.

Um dos melhores locais para visitar é o Museu de Londres e passear pelos quarteirões próximo da região do museu.

Ao mesmo tempo encontrar partes da muralha romana, visitar os locais onde haviam os portões de acesso da cidade, visitar o anfiteatro, templo religioso ou até mesmo uma casa de banho.

Juntamente com o Museu de Londres, você encontrará como Londinium ganhou vida e como era o cotidiano da cidade há 2.000 anos.

Dentro do museu, você poderá ter acesso a coleção de mais de 47.000 objetos, muitos dos quais foram recuperados durante obras de recuperação e expansão na cidade de Londres.

Para saber mais sobre Londinium, leia nosso outro artigo aqui.

Verulamium, St Albans, Hertfordshire

Segundo documentos históricos, Verulamium era uma das maiores cidades romanas da Grã-Bretanha e era utilizada como cidade para acesso ao norte da ilha em direção a Cambridge.

A cidade e sinônimo de história, e frequentemente mencionada por aqui ainda possuir muitos vestígios romanos espalhados pela cidade.

Dessa forma é possível visitar as ruínas da vila e das muralhas da cidade no Verulamium Park, o Hypocaust (sistema de aquecimento central, construído por volta de 200 d.C.) e um teatro.

De acordo com muitos historiadores epsecialistas no ramo, eles afirmam ser um exemplo único na Inglaterra, sendo um teatro com palco, em vez de um anfiteatro romano tradicional.

Este teatro foi construído por volta de 140 dC, o teatro inicialmente teria sido usado para muitas ocasiões, desde procissões religiosas a shows com animais selvagens.

Por volta de 300 d.C., após algum trabalho de remodelação, acredita-se que podia acomodar mais de 2.000 espectadores.

Tenha mais informações e reservas de ingressos visitando o site do museu, clique aqui.

MUSEU DE CORINIUM, CIRENCESTER

Este é o Museu Corinium possui uma das melhores e mais extensas coleções romanas do país. Corinium, Cirencester, era a segunda maior cidade romana depois de Londres e o principal centro administrativo do sudoeste da Grã-Bretanha.

Ainda mais porque a cidade era a capital tribal e centro administrativo ou civitas para os Dobunni, uma tribo local pré-romana e estima-se que tinha uma população entre 10.000 e 20.000 pessoas nesta tribo.

Atualmente a população desta cidade Cirencester é de aproximadamente 18.000 pessoas.

As coleções de mosaicos, lápides e esculturas do museu refletem a importância de Cirencester.

PALÁCIO ROMANO DE FISHBOURNE, CHICHESTER, WEST SUSSEX

Fishbourne Roman Palace é a maior casa romana na Grã-Bretanha. Hoje você pode visitar o palácio escavado em Chichester, construído no século I DC, repleto de luxo e descobrir os primeiros jardins romanos.

Esses jardins foram encontrados mais por aqui do que em qualquer outra parte do país.

Além de possuir a maior coleção de mosaicos no local no Reino Unido.

BIGNOR ROMAN VILLA, PULBOROUGH, WEST SUSSEX

Bignor é uma grande villa escavada com pátio romano e com piso feito em mosaico. No local, você pode caminhar entre os vestígios romanos, apreciar a arte e o talento do artesanato dos pisos em mosaicos. Alguns são super requintados como o de Vênus e os relutantes Gladiadores Querubim, Ganimedes sendo levado pela Águia e as Quatro Estações.

Para ter uma noção da escala do local que empregava tantas pessoas, faça uma visita ao corredor Norte.

Com apenas um terço exposto, ainda é a mais longa exibição do país, para você ter uma ideia da extensão, é equivalente a três quadras de tênis.

ROMAN LEGION MUSEUM, CAERLEON, NEWPORT, SUL WALES

Este local incrível se chama Caerleon que é uma palavra derivada do galês para “fortaleza da legião” e por outro lado, a variedade de vestígios disponíveis aqui é incomparável com relação a outras partes da ilha.

Gales era o posto avançado mais avançado do império. Em 75 DC, os romanos construíram uma fortaleza em Caerleon que guardaria a região por mais de 200 anos.

O Museu Nacional da Legião Romana é um dos três locais romanos em Caerleon, onde você pode voltar no tempo e explorar a vida em um posto avançado do império, junto com o museu dos Banhos Romanos e as ruínas ao ar livre do anfiteatro e do quartel.

CHEDWORTH, YANWORTH, NEAR CIRENCESTER, GLOUCESTERSHIRE

Chedworth é uma vila romano-britânica com um belo cenário de vale, mosaicos  e um museu local.

Definitivamente, a evidência para a primeira estrutura de pedra em Chedworth data do século 2 DC e, ao longo dos dois séculos seguintes, a villa foi ampliada e melhorada, atingindo seu apogeu no século 4 DC, entre 360-380 DC.

Durante este tempo, a Villa Romana de Chedworth era um lugar de riqueza, luxo e conforto.

Dessa forma, hoje em dia o local é controlado e fiscalizado pela National Trust.

Sob o meu ponto de vista é impressionante pensar que foi descoberta por acidente em 1864 e hoje é uma das maiores vilas romanas do Reino Unido.

RECULVER ROMAN FORT, HERNE BAY, EAST KENT

Um lindo mosaico Ganimedes no Palácio Romano de Fishbourne

O proprietário de uma casa de fazenda instalando cabos em Wiltshire descobriram a maior villa romana já encontrada no Reino Unido. Infelizmente, como o trabalho de conservação está apenas começando, pode ser que ainda leve alguns anos até que o local seja aberto ao público.

Vale lembrar, que o primeiro fórum construído aqui data de cerca de 70 DC, quando uma série de edifícios públicos foram erguidos e tornaram o local em uma cidade próspera.

Esta cidade foi um dos locais que sofreu com o ataque de Boudicca (líder rebelde) que destruiu completamente a cidade .

Após 10 anos, a cidade se restabeleceu, foram construídos um fórum, um anfiteatro, um novo templo ao sul e uma casa de banhos onde fica Cheapside.

Roman Town House, Dorchester, Dorset

Este local é o único exemplo de uma casa de cidade romana totalmente exposta no país. Foi construído por volta de 307 d.C., quade no final da ocupação romana na ilha.

A Roman Town House fica nos terrenos do County Hall em Dorchester, no que costumava ser a cidade romana conhecida como Durnovária. Foi descoberto por Drew e Collingwood Selby e escavado em 1937-8.

Hardknott Roman Fort, Cumbria

Construídas entre 120 e 138 dC para proteger a passagem de Harknott, estas são as ruínas do forte romano conhecido como Mediobogdum.

O local inclui muitas ruínas, bem como de uma casa de banho, campo de desfile e tribunal, comprimentos de quatro estradas romanas, áreas de pedreiras romanas e três marcos.

Os responsáveis por esse forte era uma unidade de infantaria com 500 homens chamada Quarta Corte de Dálmatas.

Posteriormente, foi evacuado durante o reinado de Antonino Pio (138 – 61 dC), mas reocupado em algum momento durante meados do século II, antes de ser finalmente abandonado no final do século II.

O forte tem uma altitude de 800 pés com um visual deslumbrante sobre o rio Esk.

Richborough Roman Fort, Kent

Richborough – ou Rutupiae – foi fundado pelos romanos após a invasão da Grã-Bretanha em 43 dC. Rutupiae era o principal porto britânico devido à sua posição perto da foz do Stour.

A ruína mais proeminente de Roman Richborough são as muralhas do forte do final do século III, que faziam parte das defesas contra invasores marítimos ao longo da costa, conhecida como “Costa Saxônica”.

O local fica no que antes era uma pequena ilha ou península, que separava a Ilha de Thanet do continente de Kent.

Para saber mais informações e compra de ingressos, clique aqui.

Aldborough Roman Town, Boroughbridge, North Yorkshire

Aldborough era a “capital” dos brigantes romanizados, a maior tribo da Grã-Bretanha naquela época. Depois que os romanos subjugaram a tribo dos Brigantes, o forte foi substituído por uma cidade conhecida como Isurium Brigantum.

Hoje você pode ver uma muralha da cidade com suas torres defensivas e dois pavimentos em mosaico, uma vez parte de uma casa romana. O museu contém uma variedade de cerâmica e outros itens, dando uma visão completa da vida romana no local.

Temple of Mithras, Carrawburgh, Northumberland

A Muralha de Adriano está repleta de locais interessantes, incluindo este Templo de Mitra no forte romano de Carrawburgh.

Os soldados construíram o Templo para o deus Mitra, por volta de 200 dC e foi destruído por volta de 350 dC. O mitraísmo era uma religião romana inspirada por um deus originalmente adorado no Império do Oriente.

Três altares encontrados foram dedicados por comandantes da unidade estacionada aqui, a Primeira Corte de Batavos da Renânia.

O Templo é gratuito para visitação.

Wroxeter Roman City, Shrewsbury, Shropshire

Essa construcao foi realizada por volta de 55 d.C. como um posto de fronteira, dessa forma, a cidade romana de Wroxeter recebeu seu nome romano ‘Viroconium’ depois que a tribo britânica local dos Cornovii foi subjugada e sua capital foi transferida de Wrekin para Wroxeter.

No seu auge, acredita-se que tenha sido o quarto maior assentamento na Grã-Bretanha romana, com uma população de mais de 15.000 habitantes. Tornou-se um dos primeiros sítios arqueológicos na Grã-Bretanha a se tornar uma atração turística aberta ao público.

Reserve os bilhetes para a sua visita, clique aqui.

Espero que vocês tenham gostado de saber uma pouco mais sobre os vestígios romanos no Reino Unido e até o próximo artigo.

Similar Posts

3 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.